Colonoscopia

É um exame que permite ao médico examinar a mucosa do intestino grosso, através de um aparelho flexível denominado colonoscópio, que é introduzido pelo canal anal e permite a avaliação, na maior parte das vezes, do reto, cólon e do íleo terminal.

Imprimir - Preparo do exame

Dúvidas frequentes

O preparo é realizado na véspera do exame e consiste em uma dieta especial, sem resíduos e no uso medicamentos laxantes. Estas informações serão oferecidas durante a marcação do exame.

O cólon deve estar completamente limpo para que o procedimento seja realizado da melhor maneira possível. Em alguns casos, o preparo do cólon pode estar inadequado, sendo necessária a suspensão do exame ou permitindo apenas a sua realização parcial. Portanto, é de fundamental importância seguir todas as instruções médicas cuidadosamente.

Eventualmente, o preparo pode causar náuseas ou desidratação, sendo importante que o paciente entre em contato com a Gastroendo caso manifeste sinais de tonteira, pressão baixa ou vômitos.

A maioria das medicações podem ser continuadas, mas algumas podem interferir com o preparo ou com o exame. Informe ao seu médico assistente as medicações que esteja fazendo, principalmente aquelas que interferem na coagulação, como marevan, aspirina e outros antiagregantes plaquetários, como clopidogrel e ticlid. É importante também informar o uso de medicações para artrite, diabetes (insulina e hipoglicemiantes orais) ou medicações que contenham ferro. É de fundamental importância mencionar se o paciente apresenta algum tipo de alergia medicamentosa ou faz uso de alguma substância entorpecente.

O paciente ou seu representante legal, receberá antes do exame um questionário que deverá ser preenchido com dados da sua história clínica, como por exemplo, cirurgias anteriores, traumas ou internações prévias.

A Colonoscopia é um procedimento seguro, simples e indolor. Na Gastroendo é realizada através de sedação venosa, efetuada por um médico anestesiologista, que acompanha o paciente durante todo o exame.

O exame tem uma duração média de 30 minutos, e após a sua realização, o paciente permanecerá em observação até sua completa recuperação. Eventualmente, o paciente pode sentir um leve desconforto, distensão gasosa ou cólicas abdominais, devido ao ar que é insuflado no intestino durante o exame para melhor visualização do cólon.

Nem sempre o exame pode ser realizado por completo. Isto pode correr por alguns fatores, como: preparo inadequado do cólon, mesmo com a realização de um preparo prévio; presença de estreitamentos causados por inflamações, divertículos ou variações anatômicas; aderências por cirurgias anteriores ou tumores. Nestes casos, o médico decidirá qual o limite de segurança para interromper o exame.

Caso seja encontrada alguma lesão que necessite de uma avaliação mais detalhada, o médico passará uma pinça através do colonoscópio para obter uma biópsia, que será analisada em laboratório. As biópsias são comumente usadas para identificar muitas condições como processos inflamatórios, pólipos, infecções ou até mesmo a detecção de câncer.

Se a colonoscopia está sendo solicitada para identificar o local de um sangramento, o médico poderá controlar o sangramento através da injeção de medicamentos ou utilizando outras técnicas disponíveis, como por exemplo, o gás de argônio.

Durante a colonoscopia, alguns pólipos e lesões podem ser encontrados e removidos no momento do exame, ou posteriormente caso o médico julgue mais seguro. Este procedimento, usualmente, não causa dor.

As complicações são raras e podem incluir sangramentos, distensão gasosas, laceração da parede intestinal e mais raramente perfuração intestinal, entre outras que possam necessitar de internação hospitalar ou cirurgia.

Alguns pacientes podem raramente ter reações ou complicações relacionadas à sedação, como broncoaspiração ou flebites (inflamação da veia).

Embora as complicações após a colonoscopia não sejam comuns, é importante perceber cedo seus sinais. Entre em contato, imediatamente, com o nosso serviço médico caso observe dor abdominal forte, febre, calafrios, ou sangramento após o exame.

Por ser realizado sob sedação profunda ministrada por um anestesiologista, isso inabilita a pessoa a conduzir veículos e pode causar lapsos de memória e dificuldade de concentração nas horas seguintes. Por esses motivos, o acompanhante é responsável por conduzi-lo de volta para casa em segurança e, na eventualidade do médico endoscopista precisar de autorização para algum procedimento adicional ou dar orientações específicas após o mesmo, o acompanhante torna-se responsável pela autorização e por transmitir as orientações dadas. Na ausência de acompanhante, a colonoscopia não será realizada.