Teste Respiratório de Hidrogênio Expirado

O teste respiratório do hidrogênio expirado é um exame que utiliza a medida do hidrogênio na respiração para diagnosticar o supercrecimento bacteriano no intestino delgado, bem como problemas na digestão de açúcares como lactose e frutose.

Imprimir - Preparo do exame


Dúvidas frequentes

O paciente é orientado a fazer uma dieta não fermentativa no dia anterior ao exame, quanto às medicações que interferem no teste e o tempo de jejum antes do exame (8 horas).

O intestino delgado tem poucas bactérias, quando elas migram do intestino grosso para o intestino delgado é chamado de supercrescimento bacteriano.

O paciente sopra em um aparelho para que seja colhida uma amostra basal do gás expirado. Logo depois ele ingere uma pequena quantidade do açúcar a ser testado. Em seguida colhe amostras em intervalos regulares por aproximadamente duas a três horas.

Sintomas como dor abdominal, estufamento, distensão abdominal, flatulência (excesso de gases) e diarreia podem ser ocasionados por essas intolerâncias a açúcares e ao supercrescimento bacteriano.

Esse exame permite diagnosticar de forma simples, indolor e não invasiva essas intolerâncias e a presença de supercrescimento do intestino delgado.

É quando o paciente é incapaz de digerir os açúcares, como por exemplo lactose (açúcar do leite), frutose (açúcar das frutas), sorbitol (açúcar de alguns adoçantes e gomas de mascar), devido à deficiência ou ausência de determinada enzima que normalmente existe no intestino.

Sintomas como náuseas, inchaço, dor abdominal, cólica, diarreia podem acontecer durante a realização do exame após a ingestão do açúcar e devem ser informados.

O paciente poderá se alimentar e realizar suas atividades, como dirigir, normalmente.